Lindenmeyer foca nas ações de seu governo no primeiro "Tá em Pauta" do ano

31/03/2016

O prefeito Alexandre Lindenmeyer foi o convidado da 34ª edição do Tá em Pauta, realizado na Câmara de Comércio, em reunião-almoço, Nesta quarta (30). Esta foi a primeira edição de 2016 e contou com a presença de, aproximadamente, 120 convidados. O prefeito falou a respeito das prioridades, obras e projetos de seu governo, “ações que julgamos importantes para nosso Município”, disse ele. Ressaltou que “frente à instabilidade que vivemos, me atrevo a dizer que Rio Grande vem sendo construído a várias mãos. E é assim que conseguiremos vencer”.
Prioridades
Lindenmeyer frisou que seu governo tem várias prioridades. A educação foi uma delas, ressaltou, com a criação de 1.336 novas vagas para a educação infantil. Falou ainda sobre o projeto de duplicação da rua Roberto Socoowski e sua ligação com a BR-392, o binário entre a Junção e o Pórtico, e a revitalização do Porto Velho, desde os fundos da biblioteca até o armazém A-5, dentre outros. - Rio Grande, hoje, tem um banco de projetos, para, quando existirem recursos disponíveis, não perdermos esses por falta de projetos - declarou. Sobre o aeroporto, lamentou a demora da Fepam na liberação do projeto e o fato do governo do Estado estar priorizando os aeroportos de Passo Fundo e Santo Ângelo, ao invés do Rio Grande. Revitalização de espaços públicos
Salientou a revitalização da praça Xavier Ferreira e do Mercado Municipal, onde também foi criado um fundo, hoje, com mais de R$ 500 mil em recursos advindos das locações e que serão reinvestidos no local. “Valorizamos o Mercado Municipal e os prédios históricos da cidade. Queremos investir nas calçadas da praça Xavier Ferreira e, em seguida, passaremos a fazer intervenções na praça Tamandaré”, adiantou o chefe do Executivo. Sobre o Rincão da Cebola, frisou que houve um avanço significativo na qualificação do ambiente, para uso da comunidade.
Sobre a inatividade de alguns serviços públicos, observou que “nenhum gestor seria insano em fechar o Posto 4, a praça Saraiva e o Teatro Municipal se não houvesse uma forte justificativa. Tivemos de tomar decisões por conta da situação dos prédios públicos. Estamos ultimando o complexo da praça Saraiva, que não tinha nem projeto, enquanto a restauração do Posto 4 está estimada em mais de R$ 2 milhões. Estamos com projeto elaborado e em busca de recursos para as obras”.

Alternativas para a Santa Casa
Lindenmeyer salientou, ainda, que está buscando alternativas para equilibrar a situação financeira da Santa Casa “e, mais adiante, fazer o repasse da instituição para a sociedade civil organizada". Entre as alternativas para a instituição, estão a otimização de recursos dos contratos e convênios com o setor privado. “Só tinha uma pessoa que podia fazer a intervenção. Era o prefeito e, vendo o que ocorreu com o Guaíba Rache e a Beneficência Portuguesa, entendemos que tínhamos de tomar uma decisão. Foi uma decisão difícil. Estamos buscando um equilíbrio na receita, para alcançarmos as metas, qualificarmos os serviços e prestarmos um atendimento que Rio Grande e região merecem”, declarou.
Por Anete Poll
anete@jornalagora.com.br