Reunião com bancada gaúcha busca saídas para conclusão das obras

20-03-2017

Na próxima segunda-feira (20), acontece a reunião com a bancada gaúcha no Congresso Nacional para discutir formas de garantir a conclusão das obras de duplicação da BR-116. O encontro inicia às 14 horas no Vestíbulo Nobre, no primeiro andar da Assembleia Legislativa. A iniciativa é da Frente Parlamentar em Defesa da Conclusão da Duplicação da BR-116, coordenada pelo deputado Zé Nunes (PT), e da Presidência da Assembleia Legislativa.

O objetivo é reunir deputados federais e senadores em Porto Alegre, além do Ministério dos Transportes, Polícia Rodoviária Federal, Dnit, Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Associação dos Municípios da Zona Sul, Associação de Municípios do Centro-Sul, prefeitos, vereadores e entidades empresariais para debater o atual estágio da obra, a suplementação de recursos no orçamento do Ministério dos Transportes em 2017 e o início da mobilização para designação de emenda de bancada ao Orçamento Geral da União de 2018. O encontro será transmitido ao vivo, a partir das 13 horas, pelo programa 13 Horas da Rádio Universidade de Pelotas.

A partir da reunião, será fomentado um processo de mobilização continuada em defesa da conclusão da obra, com o envolvimento de toda a sociedade gaúcha, por meio de um abaixo-assinado já disponível na internet (http://migre.me/vMlnQ). No dia 25 de março, a partir das 10 horas, terá início a coleta presencial de assinaturas com a presença de todos os líderes do pleito no chafariz do calçadão de Pelotas.

Trata-se, na opinião de Zé Nunes, da obra de infraestrutura em andamento mais importante do Rio Grande do Sul, sendo que 56% da duplicação estão concluídos. O orçamento de 2017 prevê R$ 50 milhões, valor considerado insuficiente para as necessidades dos nove lotes da obra. “A unidade de todos será decisiva para a obtenção de êxito neste pleito, a fragmentação e a atuação isolada diminuem a nossa força regional perante a necessidade de disputarmos realocações orçamentárias”, observa o deputado.

Além de ser um entrave ao desenvolvimento da região, a situação da BR-116 preocupa frente ao crescimento do número de óbitos em colisões frontais. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, este tipo de acidente apresenta uma taxa de 40,4 mortes para cada 100 acidentes. Em 2014, identificou‐se que 89,71% das colisões frontais ocorreram em pistas simples, ocasionando 93,91% dos mortos nesse tipo de acidente nas rodovias federais do País.