Presidente da Federasul diz que Brasil é um país com potencial, mas com necessidades de reformas

06/07/2016

Nesta terça (5), foi realizada na Câmara de Comércio mais uma edição da reunião-almoço Tá em Pauta. Na ocasião, estiveram presentes diversas lideranças do Município e da região. Na abertura do evento, o presidente da Câmara de Comércio, Torquato Pontes, saudou a todos os presentes e disse estar feliz por receber a presidente da Federasul (Federação das Associações Comerciais do RS), Simone Leite, como palestrante do evento. Já a presidente da Federasul disse que é uma honra estar em Rio Grande, participando da reunião-almoço. "É uma grande satisfação, na condição de presidente da Federal, estar aqui", salientou. Durante a palestra, Simone lembrou que, diante do cenário atual, é importante que cada um entenda o seu papel para ultrapassar a crise, instalada tanto no cenário político, quanto ético. Ela enfatizou que é preciso que as pessoas façam algumas reflexões. “A crise ética e política tem o pior reflexo que é a crise econômica”, destacou. A presidente da Federasul ressaltou que o Brasil é um País que tem potencial, mas que é preciso ocorrer reformas. Simone enfatizou que existem muitos partidos políticos e que é preciso que uma reforma política ocorra. Ela disse que o Brasil é um país de alta carga tributária, que existe muita falta de confiança e estagnação econômica. Além disso, ela afirmou que é preciso que seja realizada uma reforma tributária, reforma previdenciária e pacto federativo. “Temos prefeitos muito competentes que estão abrindo mão da reeleição, por conta do cenário. Os recursos teriam que ficar mais nos municípios e no Estado e ir menos para Brasília”, salientou. A presidente destacou que é preciso que todos deixem de cometer atos corruptos. “Apontamos a corrupção, mas quando a gente pode, tenta driblar e chegar na fila com menos gente e andar pelo acostamento (por exemplo). Simone lembrou que para enfrentar a crise é preciso que a união de todos ocorra. Nenhum de nós é tão bom, quanto todos nós juntos. O associativismo é a bandeira para um Brasil de resultados”, afirmou.  Reunião Ainda nessa terça pela manhã, a presidente da Federasul reuniu-se com representantes das entidades empresariais da cidade, de Pelotas, Santa Vitória do Palmar, Camaquã e Bagé. No encontro que aconteceu no auditório da entidade rio-grandina, o vice-presidente de Integração da Federasul, Rodrigo Costa, apresentou o projeto “Movimento Empresarial” às lideranças da região, que “visa multiplicar milhares de lideranças, a partir dos valores da classe produtiva. Significa ocupar espaços de decisão para tentarmos superar a crise, apontando como norte o trabalho bem-feito, a produção honesta e a moralidade nas relações público-privadas. É o contraponto. Não existe País no mundo que tenha superado crises e dificuldades, sem tomar essas medidas. Esse caminho de destruição que as pessoas estão apontando, hoje, não constrói. O momento é de união”.  Costa salientou que “as empresas estão asfixiadas pelo excesso de carga tributária, os alvarás dos Bombeiros que não saem, as licenças ambientais que levam uma vida para sair e resoluções trabalhistas que pouco benefício trazem para os trabalhadores, mas inviabilizam as empresas”.  Duplicação do lote 4 Antes da reunião-almoço, no Gabinete da Presidência da Câmara de Comércio, Torquato Ribeiro Pontes Netto e Simone Leite assinaram um manifesto em favor da imediata construção do lote 4, da BR-392. Ele em nome do movimento Aliança Rio Grande, que reúne as entidades empresariais do município, ela em nome da Federasul. No documento, é salientado que “no momento a cidade do Rio Grande vive um verdadeiro caos na mobilidade da zona portuária e industrial, com acidentes diários ceifando vidas. O movimento Aliança Rio Grande e Federasul reivindicam junto ao governo Federal e DNIT o imediato início das obras que completam a duplicação da BR-392, no sentido Pelotas e Rio Grande. Não pode uma rodovia, da importância da BR-392, ficar incompleta no seu trecho mais importante que é a chegada ao Porto do Rio Grande. Estamos falando de menos de 10km de estrada, mas com um imenso significado no trânsito de nossa região, na logística do Porto do Rio Grande e, consequentemente, no escoamento de grande parte da produção do Estado”. Porto A presidente da Federasul também visitou a obra de modernização do Porto Novo, cais público do Porto do Rio Grande. Acompanhada pela direção da Câmara do Comércio Cidade do Rio Grande, a presidente foi recebida no complexo portuário pelo diretor de infraestrutura Paulo Somensi. A obra é uma das principais do setor de infraestrutura em portos em andamento no País. Aline Rodrigues/Assessoria