Agenda 2020 busca eleitos comprometidos com a sociedade e a coisa pública

03/08/2016

Rio Grande sediou, no final da tarde desta última terça-feira, 2, no auditório da Câmara de Comércio, encontro da Agenda 2020, que visa apresentar e discutir o panorama de cada município gaúcho, individualmente e num contexto macro, levando em consideração a situação econômica do Estado e da União.“A Agenda 2020 é um movimento da sociedade com características de sustentabilidade, apartidário, transparente, estratégico, propositivo, colaborativo, articulador e independente. Seus idealizadores entenderam que a sociedade deveria se organizar e fazer um projeto de estado para o Rio Grande do Sul. Precisamos agir em busca de um futuro melhor. Mostrar como o Brasil e a sociedade gaúcha estão sintonizados para o futuro. Precisamos melhorar o que temos hoje, senão o futuro chegará e continuaremos na mesma”. A declaração foi do presidente do Conselho Superior da Agenda 2020, Humberto Busnello, ao fazer apresentação do projeto apoiado por entidades empresariais e Sebrae.Busnello explicou que está sendo feita uma análise dos 50 maiores municípios gaúchos. Para isso, foi criada a Sinaleira 2020, um mecanismo que analisa dezenas de indicadores classificados nas cores vermelha, amarela e verde. Os indicadores podem ser acessados no site: http://www.agenda2020.com.br, na opção “Desafios das Cidades”, em: http://agenda2020.com.br/sinaleira/desafios-das-cidades/Busnello ainda informou que os 50 maiores municípios tem problemas em comum e que “a ideia é convidar os prefeitos eleitos a discutir as pautas conosco. Com o Governo do Estado já estamos trabalhando nesse sentido”. Ele apresentou dados preocupantes sobre o estado e o país, que não estão preparados para as demandas que serão exigidas em 2020. “Este é o momento da gente sentar e discutir juntos para ver o que se pode fazer. Acabou o tempo da sociedade de um lado e o poder público de outro. Fortalecendo os municípios fortaleceremos o Estado e a Nação. Este ano vamos eleger prefeitos e vereadores. Existem pessoas ótimas em todos os partidos, mas é obrigação nossa eleger vereadores que tenham comprometimento com a coisa pública e prefeitos comprometidos com a sociedade”Desafios das CidadesO diretor executivo da Agenda 2020, Ronald Krummenauer, no quadro “Desafios das cidades” apresentou dados sobre o município do Rio Grande, que não diferiu muito da maioria dos municípios. Como exemplo, nos quesitos segurança pública e saneamento a classificação da sinaleira foi vermelha, que impede a cidade e o estado de avançar. O amarelo, que exige maior atenção de todos, predominou em várias questões. No que diz respeito à taxa de mortalidade, a tendência é de queda nos últimos três anos o que coloca Rio Grande na transição do sinal amarelo para verde, o que é positivo. Números como o PIB e a taxa de crescimento foram considerados positivos pelo estudo. Outros dados podem ser conferidos no site colocado acima desta notícia.No final, o presidente da Câmara de Comércio, Torquato Ribeiro Pontes Netto, elogiou a qualidade do trabalho apresentado e defendeu que “a infraestrutura tem de ser trabalhada. Parece que o Poder Público não entende que o investimento dá retorno. Nosso porto não é só de Rio Grande, mas do Rio Grande do Sul e merece ser tratado de uma forma diferente, porque dá retorno. Um porto como o do Rio Grande, sem uma linha aérea funcionando, é um contrassenso”. Já Humberto Busnello elogiou a união das entidades empresariais através do movimento Aliança Rio Grande: “Nas cidades onde há desunião das entidades as coisas são muito mais difíceis de conseguir”.