Câmara de Comércio promove Rodada de Integração Rio Grande Empresarial

29/10/2015

A Câmara de Comércio, através do Comitê de Desenvolvimento de Mercado, realizou, na tarde desta quarta-feira (28), a 1ª Rodada de Integração Rio Grande Empresarial. Ao todo, 20 empresas associadas à entidade participaram da rodada, com o objetivo de gerar parcerias de mercado. Em um primeiro momento, as empresas apresentaram seus produtos e serviços para os demais. Após as apresentações, tiveram início as rodadas de negociações entre empresas. De acordo com o gestor do Comitê, Ricardo Fares da Silva, todas as empresas participantes eram compradoras em potencial, ao mesmo tempo em que ofereciam seus serviços. Além da integração local, o evento também aproximou os empreendimentos da cidade com novos investimentos, principalmente com o grupo Bolognesi, que enviou um representante para participar do evento. O grupo é responsável pela construção da usina termelétrica e do terminal de regaseificação, previstos para operarem em 2019, em Rio Grande. Outro diferencial, citado por Fares, foi também a participação de empresas públicas compradoras. Além da Rodada de Integração Empresarial, o Comitê está preparando outras ações, como a criação do catálogo empresarial, estande coletivo na Feira do Polo Naval e uma nova rodada de negócios com o grupo Bolognesi. As ações são todas voltadas para beneficiar empresas associadas à Câmara de Comércio. Para o presidente da Câmara de Comércio, Torquato Pontes Neto, o evento atingiu plenamente seus objetivos. “O Comitê foi formado para propiciar a aproximação entre as empresas do Rio Grande, e o evento desta quarta foi uma preparação para a rodada de negócios que vamos ter, promovida pelo Desenvolve RS, no momento em que sair o licenciamento ambiental da usina termelétrica do Grupo Bolognesi. Foi um sucesso pelo número de pessoas e o entrosamento buscado entre todos. Atende nossos associados e a Câmara de Comércio se sente fortalecida por isso. Queremos gerar negócios para nossos associados, e isso está de acordo com a ideia de termos um conteúdo local o maior possível, sem nunca querer ter reserva de mercado, mas através da competência, preço, qualidade e no atendimento dos requisitos exigidos pelos compradores”. Por Tatiane Fernandes
tati@jornalagora.com.br