Restauro do prédio central terá o investimento de aproximadamente R$ 20 milhões

07/10/2016

Foi assinado, na última quarta-feira (5), um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que trata sobre o restauro e utilização do complexo da Rheingantz. Assinaram o documento o Ministério Público, Executivo Municipal e a empresa Innovar Participações e Incorporações Ltda, esta responsável pelo restauro. De acordo com o advogado e coordenador das ações do projeto Rheingantz em Rio Grande, Ricardo José Gomes Henriques, o TAC estabelece que a apresentação do projeto seja feita em seis meses. “O TAC nos determina que temos seis meses para a criação do projeto. Após a criação, será feita a apresentação do projeto pleno”, destaca.Conforme o advogado, assim que criado e apresentado, o projeto vai para aprovação dos órgãos responsáveis. “Depois da aprovação, temos mais três anos para realizar a execução do projeto”, aponta. Ele explica que não é possível precisar quando a execução do projeto estará concluída, visto que ainda tem a questão da aprovação dos órgãos competentes, que pode ser rápida ou não. Além disso, o advogado salienta que serão investidos cerca de R$ 20 milhões no restauro do prédio central. “São recursos que virão de várias fontes, que ainda não estão definidas. Vamos buscar parcerias para o projeto”, salienta. O representante da Innovar - empresa da cidade de Marau (RS) - enfatiza que o projeto é pensado com muito carinho. “Temos um grande carinho por esse projeto. A deterioração com o passar do tempo ia custar o empreendimento inteiro. O objetivo é devolver à comunidade do Rio Grande esse patrimônio que está no imaginário do povo rio-grandino”, afirma. Ele lembra que a assinatura do TAC viabiliza o empreendimento e a sustentabilidade do mesmo. “Queremos a real e efetiva preservação desse patrimônio. Queremos fazer algo concreto”, finaliza. O projeto prevê, além das obras de restauro, a instalação de atividades comerciais, de ensino universitário, de teatro, estruturas de lazer, implantação de um museu de história da Rheingantz e da indústria local e a criação de um espaço voltado para a educação ambiental.Por Aline Rodrigues aline@jornalagora.com.br