Indústria de flanders apresenta projeto para o Município

29/01/2016

 Na tarde desta quinta-feira (28), a diretoria da Câmara de Comércio do Rio Grande esteve reunida para conhecer o projeto de uma empresa interessada em instalar-se no Município. Trata-se da Nenzo Industrial SA, que pretende construir, em Rio Grande, a segunda indústria de flanders no País (a primeira é a Companhia Siderúrgica Nacional, no Espírito Santo). O secretário estadual de Desenvolvimento, Tecnologia e Inovação, Fábio Branco, foi quem trouxe à cidade o executivo André Arnt, responsável pela implantação do projeto da Nenzo no Município. Branco disse que está cumprindo com seu compromisso de atrair novos empreendimentos para a cidade e região. Salientou, no entanto, que existem algumas etapas a serem cumpridas pelo Governo do Estado, mas prevê que o protocolo de intenções seja assinado até o mês de março próximo. “É um projeto que pode trazer outras empresas posteriormente e será importante para, também, criar novas vagas de emprego”, observou. O responsável pelo projeto, André Arnt, explicou que as folhas de flanders são latas que proporcionam segurança alimentar, hermeticidade, opacidade e tem, ainda, como novidade a tecnologia easy open, que facilita ao consumidor a abertura da lata, somente, puxando um anel, sem a necessidade de abridor. “O insumo mais importante é a bobina de aço. O produto passa por uma lavagem, ou banho de estanho ou de cromo, passa por uma secagem e o corte”, explicou. Haverá, junto, o trabalho de litografia: “A lata, além de protegida, terá a impressão do rótulo, feita aqui mesmo. Ao menos, 40% da produção sairá litografada, agregando valor ao produto, que já tem bastante valor agregado”.  A capacidade instalada da indústria será de 120 mil toneladas, equivalente a 1/7 do mercado brasileiro de flanders. O investimento será de R$ 100 milhões, com recursos coreanos e brasileiros e pretende atender os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, e sul de São Paulo.  A tecnologia é coreana e serão gerados 90 empregos diretos. Arnt informou que tão logo o projeto esteja pronto, “o próximo passo será a aquisição da área”. Disse, ainda, que a localização do porto é fundamental para a importação do aço e a utilização da cabotagem para o mercado do Mato Grosso do Sul. O prefeito Alexandre Lindenmeyer afirmou que “estamos à disposição e, caso o empreendimento venha a se concretizar, tudo o que estiver ao alcance do Município será feito. Somos parceiros e desejamos boas vindas ao projeto”. O presidente da Câmara de Comércio, Torquato Ribeiro Pontes Netto, salientou que “tratam-se de notícias alvissareiras, que vem mitigar as preocupações com a economia do Município, manifestadas em nossas reuniões”. O empresário colocou a Casa e os diretores à disposição para o fornecimento das informações necessárias, para facilitar a vinda do empreendimento.